11 outubro 2017

Resenha #117 - Paganus

|| ||
Livro cedido para resenha em parceira com a autora. Todas as opiniões aqui presentes são minhas, sem interferências, na tentativa de passar a vocês o que senti ao longo da leitura.

Portugal, 1673. Chamadas de bruxas pela inquisição, três gerações de mulheres celtas terão que deixar tudo o que conhecem para trás e fugir em busca de um lugar onde possam viver suas crenças livremente e encontrarão um caminho repleto de pedras e flores. O nascimento de uma criança, uma missão, um grande amor, histórias que se cruzarão de encontro ao destino em uma desconhecida terra nova, chamada Brasil.
Para a Igreja, eram bruxas.
Para a Grande Mãe, suas herdeiras. 
Para os homens, sua perdição...



Eu não sei nem por onde começar essa resenha. Não sei mesmo. Eu senti tanta coisa lendo esse livro que não sei como falar disso sem me exaltar ou dar um monte de spoilers. Vou falar algo que odeio, mas cabe aqui. Vou começar do início e ver onde vai.
No começo da história conhecemos Douglas e Diogo, dois garotos de família nobre, gêmeos idênticos, mas com personalidades totalmente diferentes. Quando o pai dos garotos se torna Dom e jura a Igreja caçar bruxas, Douglas se sente ainda mais poderoso e enxerga nisso a oportunidade de fazer valer sua "superioridade", já Diogo se pergunta onde está Deus em meio a todo esse desespero. Com a morte da mãe dos meninos, o pai se torna ainda mais amargo e cada um deles se apega ainda mais a sua forma de ver as coisas. 
Do outro lado da história, temos Gleide e Adele, duas mulheres celtas pagãs que adoram a terra, o céu, os lagos e tudo que a Grande Mãe nos fornece. A gravidez de Adele é uma grande alegria para todo o vilarejo. Por Gleide ser uma mulher muito poderosa que tem um contato direto com a Grande Mãe, todas as respeitam e temem. Ela é uma pessoa não muito agradável, mas tudo que ela faz é para proteger seu povo e suas crenças. 
"Amava aquela aldeia que o acolhera. Era um lugar pacato com um povo alegre e que cultuava a natureza, pois dela retirava o sustento. A relação recíproca de respeito era sua filosofia. Davam a terra e dela recebiam." Pág. 34
Em determinado momento, o vilarejo onde as duas vivem é invadido por Cristãos. Quando eles percebem que não conseguirão "converter" o povoado, matam a quase todos. Douglas mata o pai da criança de Adele enquanto ele tentava protegê-la, visto que a mesma estava em trabalho de parto. Diogo fica indignado com a cena e entra na casa para ajudar a moça. Colocam fogo na casa, mas Diogo, Adele e Gleide conseguem fugir por uma janela em direção a floresta.
E é assim, no meio dessa confusão toda, fugindo para detrás de uma cachoeira que chega ao mundo Daniele, uma garota incrível, escolhida pela Grande Mãe.
"Se minha missão obriga-me a secar meu coração tal qual o teu... não vou cumpri-la!" Pág. 223
Esqueci de falar uma coisa. Essa história se passa em Portugal no século XVII.
Essa jornada meio estranha com duas pagãs e um cristão pode parecer bem sem pé nem cabeça, mas vai por mim, ficou bem bom nas mãos da Simone. Ela criou personagens incríveis. Gleide é uma mulher forte, meio bruta na sua forma de fazer as coisas acontecerem. Adele é meiga e, ao contrário da mãe, quer um homem pra ficar com ela pra sempre. Ah! Acho legal comentar que os cabelos de Adele são vermelhos. Na verdade, essa característica em seu pai foi o que fez Gleide escolher ele para lhe dar sua filha. Pois é. Daniele é uma garota maravilhosa. Sua mãe e sua avó a ensinam a língua antiga e a respeitar a natureza. Diogo é, como diz Gleide, um cristão com coração pagão. Bom, acho que eu sou meio como Diogo. E depois temos Matheus, um garoto incrível, irmão de Daniele, que herdou os cabelos vermelhos de sua mãe e tem uma força incrível. Gleide meio que negligencia o rapaz. A cultura delas é matriarcal então ter um menino na família para ela não faz muita diferença.
Bom, o que eu achei dessa história. Ela é maravilhosa, pra início de conversa. Se você é do tipo que vive na sua caixinha e não aceita nada que esteja fora dela, esse livro não é pra você, mas se você respeita as coisas, independente das suas crenças, essa leitura pode te fazer refletir sobre muita coisa. Acho muito importante dizer aqui que durante a inquisição, as mulheres eram acusadas de bruxaria quando: Eram pagãs. Eram bonitas. Entendiam sobre natureza. Faziam chás. Eram mulheres. Por que isso? Bom, é normal um homem se sentir atraído por uma mulher bonita, mas eles consideravam essa atração uma bruxaria. Só de você ser mulher, já valia uma fogueira. E elas nem ao menos conheciam a palavra bruxa. Eram apenas mulheres que viviam em harmonia com a natureza e faziam uso dela. Eu, como pessoa criada na Igreja Católica, fiquei com uma repulsa enorme disso tudo. O mais preocupante é que ainda hoje existem pessoas que pensam assim.
"[...]Era uma mulher experiente, segura, controlada e entendia a natureza. Era isso que faziam as bruxas?" Pág 71
Enfim. A vida dessa mulheres consiste praticamente em fugir e fingirem ser algo que não são. Ah! Matheus é filho de Adele com Diogo, caso não tenha ficado claro. E Daniele sabe que ele não é seu pai, mas o trata como se fosse.
"Eu jamais imaginei que chegaria a esse ponto, Adele, as mulheres são mais fortes, mais inteligentes, somos capazes de parir uma criança e o alimento sai de nosso corpo! Mas, infelizmente, este é um mundo feito para os homens... e nos cabe fingir que somos inferiores, mas nunca deixá-los dominar nosso espírito." Pág. 84
Eu fiquei muito triste e um pouco revoltada com a autora devido a alguns acontecimentos mais pro final do livro, mas eu entendi os motivos dela de ter feito isso. Foi esses acontecimentos que levaram Daniele a conhecer Antônio e partir, finalmente, para sua missão na Nova Terra, nosso Brasil lindo. Antônio é um personagem maravilhoso. Do tipo encantador até o último fio de cabelo, sabe?
O livro todo é lindo, do tipo que faz a gente refletir sobre muita coisa. Porque perseguir pessoas que não pensam como você? Cada um não deveria ter o direito de fazer o que acredita ser melhor pra si? Porque reprimir as crenças de uma pessoa? É muito triste quando pensamos na quantidade de pessoas que já foram assassinadas por pensarem de forma diferente, por erem diferentes. Eu espero, de verdade, que um dia isso deixe de acontecer e as pessoas sejam livres para serem da forma que são.
É um livro para quem não tem preconceitos, ou para quebrar alguns deles. Não sei. Eu gostaria que o mundo conhecesse essa história para pensar um pouco, sabe? Sair do seu quadrado.
A edição é linda. A capa é linda. As folhas são amareladas e tem desenhos de folhas em todas s páginas, deixando tudo ainda mais lindo. A revisão foi bem feita. Simone construiu personagens incríveis e complexos em sua essência. O livro termina de forma incrível para dar espaço para o que vai vir a seguir.

Ficha Técnica...

Título: Paganus
Autora: Simone O. Marques
Editora Alfabeto
320 páginas
Ano 2015
Nota: 4.5
Nota no Skoob: 4.3






Quote escolhida para o projeto Poteando Quotes

Detalhes da edição. Páginas com folhas desenhadas na lateral e o desenho da capa em cada início de capítulo.



Detalhes da edição lindona

Essa capa é maravilhosa. Essa moça é a minha Adele. A escolha foi perfeita.

Concluindo: É uma história maravilhosa sobre amor, perseguição, família, sacrifícios. Não é pra todos, mas todos deveriam ler, com a mente aberta. É um excelente primeiro livro de trilogia.

O mais bacana é que hoje é o ÚLTIMO dia pra baixar Paganus gratuitamente na Amazon. Se você não tem kindle, como eu, baixe no app. Não vão se arrepender.

Espero que tenham gostado da minha tentativa de falar sobre esse livro que mexeu tanto comigo. Se você acha que convém fazer um vídeo falando sobre a trilogia, me avisa aqui nos comentários. Se já leu esse livro, me deixe saber sua opinião. Um beijo grande e até a próxima.

6 comentários:

  1. Esse livro deve ser bem intenso, gostei bastante da capa dele! ❤

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro maravilhoso, Kaila. Tem uma história bastante bonita e tem o poder de abrir mentes.

      Excluir
  2. Adorei! Obrigada pelo carinho de cada palavra dessa resenha! Sua opinião é muito importante. <3 Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço por ter me cedido esses livros incríveis. Suas histórias mudaram minha forma de pensar.

      Excluir
  3. Eu comprei essa trilogia por dica da Simone Pesci, mas ainda não li...mas estão aqui na fila....estou ansiosa <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, fura essa fila. Essa trilogia é incrível.

      Excluir

Quer conversar comigo? Me mande um e-mail: vidasempretoebrancocontato@gmail.com
♥ Chegou até aqui, não custa comentar ;)
♥ Se deixar o seu link clicável, eu vou retribuir seu comentário, pode ter certeza;
♥ Não faça spam. Apagarei com certeza.
♥ Se tiver alguma dica, crítica ou o que for, pode deixá-la aqui, mas faça com jeitinho, sou sensível.
♥ Para saber o que respondi, ative a caixa de notificações de próximos comentários.
Cada comentário me deixa muito feliz.
Beijos na bochecha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Vidas em Preto e Branco - 2015. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer conteúdo do blog.
Criado por: Marcy Moraes.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo